Vai uma surpresinha aí?

Para ouvir enquanto lê o texto:

Outro dia vi o TED Talk de Tony Robbins, escritor e palestrante motivacional estadunidense – é possível que você o conheça do filme “O Amor é Cego”, no qual ele interpreta a si próprio e hipnotiza o personagem principal, fazendo com que ele enxergue apenas a beleza interior das pessoas. No TED, Robbins pergunta à plateia quem gosta de surpresas. Muitas pessoas erguem a mão. Robbins responde que é mentira: gostamos das surpresas que queremos. Às demais, chamamos de problemas.

É interessante o quanto nos incomodamos com acontecimentos inesperados em nossa vida. Não são raras as pessoas que se deixam abater profundamente por surpresas desagradáveis. É como se desejássemos que nossas vidas pudessem ser representadas, num gráfico, por uma simples linha reta. De preferência, ascendente, é claro.

Imagine, porém, que você está pensando em ir ao cinema nesse final de semana. Você abre um site e lê as sinopses dos dois filmes em cartaz. Uma delas diz: “jovem mulher se casa com o namoradinho de infância. O casal financia uma casa e tem dois filhos. Ambos têm empregos de que não gostam muito, mas acreditam que a vida poderia ser pior. Aos domingos, vão à missa”. A segunda é assim: “depois de deixar para trás a família, os amigos e a cidade em que cresceu em busca do sonho de ser atriz, o único emprego que Fulana consegue na cidade grande é como garçonete. Certo dia, um acontecimento inesperado a leva a conhecer Sicrano e, mesmo contra sua vontade, ela é obrigada a ajudá-lo a decifrar um enigma. A inusitada amizade acaba dando um novo sentido para a existência dos dois”. 

Qual história parece mais interessante? Mesmo que você prefira filmes cuja sinopse se resuma aos termos “mulheres lindas”, “perseguições” e “explosões”, aposto que concorda que o segundo enredo desperta um pouco mais de curiosidade que o primeiro. As histórias mais interessantes, divertidas, tocantes ou edificantes contam com a superação de algum empecilho.

Quantos personagens de longas animados da Disney ou da Pixar tiveram que enfrentar a tristeza da morte de um dos pais, geralmente acompanhada de um grande sentimento de culpa? Qual a comédia romântica que funciona sem que no meio da história o casal se separe, para depois perceber que nasceram um para o outro? Sem reviravoltas, não existiriam filmes de suspense, terror, policiais, romances…

E é claro que não é só na ficção que isso acontece. A verdade é que todo mundo já se deparou com uma situação difícil e/ou inesperada. A morte de um ente querido; uma gestação não planejada; o abandono físico ou emocional de um pai ou uma mãe; o recomeço depois de uma demissão ou de um divórcio; uma violência ou injustiça; a mudança de escola, cidade ou país e as dificuldades de adaptação ao novo ambiente; uma doença; o processo de se livrar de um vício; uma desilusão amorosa. Mesmo as pessoas que aparentemente nunca sofreram também guardam esqueletos no armário.

Não estou sugerindo que você persiga tragédias para se tornar uma pessoa mais interessante. Estou apenas dizendo que os percalços são parte da vida e é assim que devemos encará-los. Os problemas são solucionados com mais facilidade quando não nos apequenamos diante deles. E por mais que pareça, quando estamos sofrendo, que a dor será eterna, todos já sabemos por experiências pretéritas que é verdade o que nossas mães sempre disseram: vai passar.

No fim das contas, o que nos define é a maneira com que reagimos às surpresas que não queremos. Porque ser feliz nos dias em que tudo dá certo é muito fácil. O desafio é encontrar alegria e valorizar as coisas boas quando tudo parece conspirar contra.

 

Imagem original de www.thedoghouse.com
Imagem original de http://www.thedoghouse.com
Anúncios

Um comentário em “Vai uma surpresinha aí?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s