9 meses

Filho,
Você foi concebido no dia 21/08/2015. Exatamente 9 meses depois, você veio ao mundo, em 21/05/2016. E hoje faz 9 meses que eu amo você do lado de fora do meu ventre. 
Esse mês foi especial. Entre outras coisas, você conheceu (e adorou) o mar! Passamos férias deliciosas com seu pai e sua vovó Maria. Você descobriu a textura (e o sabor) da areia. Brincou na piscina, aprendeu a subir escada, comeu mais do que nunca e se divertiu muito! 
Também começou a natação. A primeira aulinha foi meio tensa, você não curtiu o mergulho. Mas na segunda já se soltou e se divertiu muito, mesmo mergulhando! O coração da mamãe ficou mais tranquilo! Começou ainda a aulinha de musicalização para bebês, que é pura alegria. Ao chegar em casa depois da primeira aula, deslanchou a tocar seu pianinho como nunca antes. O papai já achou que compensou o investimento, hahaha!
Agora está bem mais fácil nos comunicarmos, meu amor! Você já sabe expressar com gestos e sons quando quer algo, e também quando não quer. Para o que está fazendo quando escuta a palavra “não”. Guarda objetos dentro de recipientes (adora caixas), abre e fecha as portas e gavetas, tira as coisas de dentro dos armários. Transforma várias coisas em instrumentos de percussão (o baldinho virado, caixas, prateleiras), batendo com as mãos ou com baquetas improvisadas. 
Desce do sofá bonitinho, sem ser de cabeça. Anda pela casa se apoiando nos móveis, dá tchau, bate palmas, manda beijos. Combina sílabas em sons que parecem palavras. Fica em pé sem apoio por alguns segundos e se agacha em seguida. Finge que vai mamar e aí faz “prrrr” assoprando o meu peito. 
Aprendeu a miar imitando a Samantha. Faz carinho na mamãe, no papai, na Sam, na vovó e em amiguinhos mais novos. E quando faz carinho, afina a sua voz dizendo “hmmm” como a gente faz com você. Lança olhares cheios de doçura. Encontra posições para dormir totalmente espalhado em cima de mim, para tentar evitar que eu saia da cama após você adormecer. 
São várias descobertas diárias e eu não consigo listar todas, mas gosto de escrever aquelas de que me lembro, para você ler um dia. E para eu ler nos próximos anos, quando já não recordar desses detalhes tão gostosos do seu desenvolvimento. 
Ah! Hoje pela primeira vez você comeu com a gente o bolo do seu mesversário, feito por mim com muito amor, com farinha de trigo integral, sem açúcar e sem leite. Você adorou!
Amo ser sua mãe, amo crescer com você. Amo ver o mundo pelos seus olhinhos. Amo você mais do que tudo! ❤
Feliz mesversário, meu amor!
Mamain

Oito meses

Filhote, parabéns por mais um mês de vida. Hoje faz oito meses que você está aqui, nos fazendo mais felizes a cada dia.

Agora você já bate palmas, dá tchau e piscadinhas sedutoras. Explora todos os cantinhos da casa, abre portas, gavetas, travas. Sobe na cama, escala nos móveis, anda sozinho se apoiando neles. Os tombos ainda são frequentes, mas cada vez você aprende melhor o jeito de cair sem se machucar. Experimenta soltar as mãozinhas e fica alguns segundos em pé. Fica de joelhos e de cócoras. É também um bebê dançarino. Ah, e canta muito.

Dá abraço, beija e faz carinho. Mas também dá tapas e mordidas. Já tem 6 dentes, e eles já fizeram mamãe chorar de dor algumas vezes.

É uma delícia ver você brincar com a Samantha, jogando um brinquedo para ela e gargalhando com as reações da gata. Adora jogar bola e engatinhar atrás dela pela casa toda. A máquina de escrever da mamãe é outro brinquedo que faz muito sucesso. Termina o dia com as perninhas e pés encardidos, e faz bastante bagunça na banheira.

Continua aceitando bem novos alimentos, anda tentando usar a colher sozinho para pegar comida e levar à boca, e oferece o que estiver comendo para quem está perto. A primeira vez que fez isso foi no mês passado, quando colocou um brócolis na cara do chefe do papai na festa de fim de ano da empresa. De lá para cá esse altruísmo se intensificou: até os brinquedos babados você quer que a gente também experimente, tira da sua boca e coloca na nossa. Sabe expressar perfeitamente quando quer mais comida (faz um “hummm” nervoso e característico enquanto bate com as mãozinhas na bandeja).

Já faz tempo que balbucia, mas hoje num momento em que me afastei você veio engatinhando atrás de mim e eu e seu papai ouvimos você dizer certinho “mamain”!

Filho, já nem sei mais enumerar suas habilidades. São várias novas toda semana, conquistadas em saltos de desenvolvimento que nos proporcionam noites agitadas e dias cheios de emoção.

Você é um menino lindo, inteligente e muito carinhoso! Seu jeito doce nos faz transbordar de amor. Não há nada mais emocionante que o seu rostinho se iluminando ao me ver! Sua alegria ao ver o papai chegar! Agradeço todos os dias à natureza por ter me abençoado com a graça de ser sua mãe!

Amo você!
Mamain

Texto de autoria de Oksana Guerra, originalmente publicado em seu perfil pessoal no Facebook em 21/01/2017. 

Sete meses

Filho amado, hoje faz sete meses que você chegou. Mais um mês que vivemos na sua companhia, aprendendo a cada dia com você.

Você já sabe se sentar sozinho quando deixo você deitado. Levantar e ficar em pé com apoio, segurar seu copinho para tomar água e, com um pouco de ajuda, levar a colher com comida à boca. Experimentou muitas frutas, vegetais e ovo.

Faz bagunça na banheira. Já engatinha do seu jeito e quando cansa se arrasta pra onde quer ir. Faz posições dignas de um mestre yogi. Já tem dois dentinhos, o terceiro está nascendo e o quarto já se nota a caminho. Fica o tempo todo com a linguinha sentindo os dentes na gengiva, o que rende carinhas muito engraçadas nas fotos.

Canta para dormir, também tenta cantar junto comigo sua música preferida (continua sendo “O Pato”, de MPB4), brinca com a nossa gatinha, Samantha. Durante o dia, se eu pergunto “cadê o papai?”, você olha para a porta para ver se ele está chegando.

Adora grama e terra. Não dá bola para vídeos por mais de 30 segundos. Está aprendendo a descer da cama sozinho (sem ser de cabeça). Fez sua primeira viagenzinha de carro, conheceu o Papai Noel, viu espetáculo de Natal, foi ao cinema, subiu ao topo de um moinho, foi a vários parques, fez passeios, visitou pessoas e recebeu visitas, teve encontros com amiguinhos, foi a festas, museus.

Filhote, você nos encanta todos os dias com seu jeito carinhoso, seu chamego, seu bom humor. Seu pai e eu continuamos adorando seu bafinho de leite, seu cheirinho de anis estrelado depois da massagem do papai, suas tentativas de beijos que nos cobrem de baba.

Sou grata por mais esse mês de alegria, amor e aprendizado com você, meu anjo.

Amo você mais do que tudo!

[Esse texto é de autoria de Oksana Guerra e foi publicado originalmente em seu perfil pessoal no Facebook em 21/12/2016, às 21h59, enquanto o bebê dormia. É proibida a reprodução parcial ou total desse texto sem a prévia autorização da autora.]

Seis meses

Meio ano de você na minha vida, filho. Ser mãe é mais um jeito de compreender a teoria da relatividade: esses seis meses passaram muito rápido, parece que, se eu me distrair por um instante, você já não será mais um bebê. E, ao mesmo tempo, quase não consigo mais lembrar como era a vida sem você. Sinto que sou sua mãe desde sempre. Que sua chegada não passou de um reencontro muito esperado.

Seis meses nutrindo você com o meu leite. Hoje parece pouca coisa, e é apenas o começo. Mas houve vários momentos em que pensei que não chegaria tão longe. Agora já estou confiante para dizer: você vai mamar até quando quiser, enquanto continuar bom para nós dois.

 

Já nem sei dizer o tanto de coisa que você aprendeu nesse tempo. Aproveite, meu filho, depois que a gente cresce não é mais tão fácil aprender coisas novas.

 

Agora você já senta sozinho, foge se arrastando, rolando e gargalhando quando digo “eu voooou pegar esse neném”, tenta engatinhar, insiste em ficar de pezinho quando dou a mão para você. Chora dizendo “nhenhenhem” e eu demoro para atender, porque esse choro é tão fofinho. Descobriu o pipi e consegue arrancar a fralda sozinho. Dorme agarrado em mim para eu não poder sair da cama. Faz um beicinho que me corta o coração. Continua tendo o bafinho de leite que eu amo. Começamos ontem sua introdução alimentar e descobri o que já desconfiava: você vai ser bom de garfo. Não faz careta pra nada.

Você, seu pai e eu temos nos divertido muito juntos. Todos os dias são repletos de descobertas, muito carinho, beijos babados e abracinhos gostosos, passeios alegres e muitos motivos para sorrir. Nunca pensei que a vida pudesse ser tão boa. Continuo repetindo: grata por você ter me escolhido!

 

Parabéns pelo seu sexto mesversário, Ivan!

[Esse texto é de autoria de Oksana Guerra, e foi originalmente publicado em seu perfil pessoal no Facebook, em 21/11/2016. É proibida a reprodução parcial ou total desse texto sem a prévia autorização da autora]

Cinco meses

Filho, faz cinco meses que você chegou para mudar as nossas vidas de uma forma que nem poderíamos imaginar. Mais um mês que passamos conhecendo você e nos encantando com o seu jeitinho. Você é uma criaturinha linda e abençoada! Sinto-me a pessoa mais sortuda do mundo por ter sido escolhida para ser sua mãe!

Tudo mudou para nós: a rotina, a hora de dormir, as opções de lazer, a alimentação, os planos, a disposição dos móveis e até algumas amizades. E nunca fomos tão felizes!

Amo ver você crescer a cada dia, inventar novas palavrinhas no seu idioma “bebeiês”, se movimentar, rolar, brincar com o pezinho, segurar na minha mão pra ficar de pé. Adoro seu sorriso quando seu papai chega do trabalho! É lindo ver vocês brincando juntos, você se aninhando no colo dele, ele lendo historinha pra você.

Filhote, você agora tem se mostrado ansioso para fazer mais coisas e às vezes se frustra por não conseguir. Se pudesse, aposto que sairia correndo pela casa!

Também me encanta ver como você é carinhoso, adora massagem, cafuné, abraços, beijinhos. Faz carinho em mim enquanto mama. Acho que agora já consegui descobrir todos os pontos em que você sente cócegas! Adoro ouvir sua risadinha!

Fico toda apaixonada quando você acorda pela manhã e pensa que eu ainda estou dormindo (talvez porque eu finjo que estou, hahaha), e você então fica olhando para o teto, fazendo seus barulhinhos, brincando com o lençol, esperando eu acordar… E quando vê que acordei, abre o maior sorrisão!

E para derreter mais meu coração, suas coxas enfim estão gordinhas e seu cabelo cada dia forma mais cachinhos! Parece que é impossível amar mais do que amo você, meu filho, mas todo dia eu me supero e amo mais ainda.

[Esse texto é de autoria de Oksana Guerra, e foi originalmente publicado em seu perfil pessoal no Facebook, em 21/10/2016. É proibida a reprodução parcial ou total desse texto sem a prévia autorização da autora]

Quatro meses

Que dia feliz é o de comemorar quatro meses de você na nossa vida, meu filho! Mais um mês dos seus sorrisos, risadas, barulhinhos e descobertas!

Na primeira metade desse mês você me surpreendeu aprendendo a rolar sozinho! Descobriu também o seu pé, e levá-lo à boca passou a ser uma grande diversão. Aliás, qualquer coisa que marcar bobeira vai parar na sua boca. Começou a aproveitar mais os seus brinquedinhos, agora que consegue segurá-los bem. Aprendeu a agarrar objetos quando a gente menos espera. Dar gritinhos muito engraçados. Passou a interagir melhor com nossa gatinha Samantha (aliás, apaixonou-se por ela).

Tem observado tudo com atenção nos nossos passeios. Ah, filho, você tem aprendido tanta coisa todos os dias! Mas o que mais me impressiona é o tanto que tem me ensinado! Você me ensinou a acreditar no meu leite e a confiar mais em mim. A ouvir meu instinto. Ensinou que acordar cedo pode ser uma delícia quando o seu sorriso banguela me espera. Ensinou que há sempre um novo desafio a superar, e que minha energia sempre se renova para isso. A cada dia você me ensina que o amor tem a capacidade de aumentar infinitamente, e que a vida é muito melhor agora que você está aqui.

Grata pelas lições, meu pequeno mestre! Amo você, Ivan!

[Esse texto é de autoria de Oksana Guerra, e foi originalmente publicado em seu perfil pessoal no Facebook, em 21/09/2016. É proibida a reprodução parcial ou total desse texto sem a prévia autorização da autora]

Três meses

Hoje celebramos mais um mês da sua vida, meu amor! Mais um mês repleto de desafios e de decisões difíceis. Reação a vacina por várias semanas, cólicas, dificuldade para ganhar peso. Muitos conselhos, dicas, médicos, mudança radical na dieta da mamãe.

Hoje já posso dizer que fiz e faço tudo que é possível para garantir seu bem estar, desde o mais básico até o inusitado. Apesar disso tudo, os dias tiveram sempre mais sorrisos do que lágrimas (da sua parte e da minha).

Filho, eu já o amava antes mesmo de você nascer, e, desde o primeiro instante em que o vi, soube que daria minha vida por você. Mas preciso confessar: foi nesse mês que eu me apaixonei perdidamente por você. As nuvens negras do puerpério se dissiparam, embora eu continue sensível, num misto estranho de fragilidade e força. Já consigo enxergar o horizonte, e ele é cheio de cor com você aqui comigo.

Que gostoso é ver seus olhinhos me buscarem, e seu coração se acalmar quando eles me encontram. Que delícia é dormir com você nos meus braços. Que alegria é receber seus sorrisos, suas risadinhas e curtir as nossas conversinhas! Ver você se desenvolvendo, seu pescocinho firme, sua curiosidade, suas mãozinhas cada vez mais hábeis. Você tem sido uma ótima companhia, filhote! Agradeço ao universo pela oportunidade de ser sua mãe, por você ter me escolhido, por estarmos juntos trilhando esse caminho. Parabéns pelo seu terceiro mesversário, Ivan!

Muita saúde e que Deus o abençoe, meu filho amado.

[Esse texto é de autoria de Oksana Guerra, e foi originalmente publicado em seu perfil pessoal no Facebook, em 21/08/2016. É proibida a reprodução parcial ou total desse texto sem a prévia autorização da autora]

Dois meses

Chegou seu mesversário, meu amado Ivan! Em mais esse mês da sua vida, intensificaram-se os seus sorrisos, cada dia mais lindos e frequentes. Também aumentou significativamente seu repertório de barulhinhos fofos, respondendo aos nossos estímulos.

Aprendeu a fazer bolhinhas de baba – pode parecer pouca coisa para outras pessoas, mas a mamãe viu sua concentração e valoriza seu esforço. Adora sua sessão de relaxamento no spa do Ivanzinho: banho com gotinhas de óleo essencial de lavanda, com a luz reduzida, música relaxante, terminando com massagem no corpinho todo.

Gosta de agarrar os cabelos da mamãe, às vezes arranca alguns deles. Descobriu suas mãozinhas, um brinquedo interessante e aparentemente muito saboroso. Sabe olhar nos olhos. Curte muito as luzinhas na parede da sala, fixa o olhar nelas. Quando andamos pela casa, presta atenção aos objetos. Gosta de olhar o móbile do berço em movimento.

Nas últimas semanas, aprendeu a sustentar sua cabecinha. Já sabe direitinho a diferença entre dia e noite e dorme muito bem. Durante o dia, as sonecas duram mais tempo se estiver abraçadinho na mamãe. A cada dia nos surpreende com sua esperteza e seus novos truques para nos encantar. Suas conquistas podem parecer pequenas, mas na verdade são imensas para um serzinho que chegou à Terra há tão pouco tempo. Papai e mamãe amam você mais do que tudo, filho! Parabéns!

[Esse texto é de autoria de Oksana Guerra, e foi originalmente publicado em seu perfil pessoal no Facebook, em 21/07/2016. É proibida a reprodução parcial ou total desse texto sem a prévia autorização da autora]

Um mês

Hoje faz um mês que você chegou! Enfrentamos juntos algumas batalhas, momentos difíceis, mas superamos tudo com muito amor! A cada dia seu pai e eu estamos nos adaptando melhor, dormindo um pouquinho mais, e sempre curtindo muito essa pessoinha linda com que o universo nos presenteou. Que já presta atenção a tudo à sua volta, reconhece nossas vozes desde o primeiro dia, quase sustenta a cabecinha sozinho, é muito ativo e esperto. E, acima de tudo, adora um colinho! A maior certeza que tenho é de que o amor que sinto por você é infinito e capaz de tudo!
Parabéns, filhote, pelo seu primeiro mesversário! Desejo muita saúde e alegria, meu amorzinho!

[Esse texto é de autoria de Oksana Guerra e foi originalmente publicado em seu perfil pessoal no Facebook em 21/06/2016. É curtinho e simples, porque o cérebro estava ocupado demais em assegurar a sobrevivência materna durante o puerpério, não sobrando grande disposição literária. Mas é cheio de amor, e é proibida sua reprodução parcial ou total sem a prévia autorização da autora]